[ editar artigo]

Estrada

Estrada

Quando eu andava por estes caminhos

Meu coração era um mar de segredos

Minha cabeça, um país sem fronteiras

E meu futuro parecia certo.

 

Quando eu andava por estes caminhos

Tinha mais força do que tenho agora

Um corpo tão leve que eu pouco sentia

Porque a alma não tinha descanso.


Eu tinha medo das curvas da estrada

Que me escondiam da vida os mistérios;

Mas o dia amanheceu sobre meus sonhos

E o amor me revelou a face amarga.

 

Quando eu andava por estes caminhos

E meu cantar ecoava nas pedras

A solidão tinha outro semblante

Como um punhal, ela ardia em meu peito.

 

Hoje, quando a noite cai, e me deito

Na mesma cama onde um dia ansiava

Por uma mão que embalasse meu sono

Um coração que sonhasse meus sonhos

A solidão é minha conselheira

E meu refúgio; ela me traz calma.

 

Eu andei tanto, vivi tanto tempo

Que tenho outro corpo e outra alma.

Somente a estrada permanece...

 

#Poesia #Concurso #Eternizarte

EternizArte
Jenny Rugeroni
Jenny Rugeroni Seguir

Jenny Rugeroni é bancária, escritora e artista plástica. Publicou os romances A Herdeira do Silêncio, O Segredo da Amoreira e O Ano em que não Choveu, além de diversos contos e crônicas de sucesso.

Ler conteúdo completo
Indicados para você