[ editar artigo]

Entorpecer

Entorpecer

Pode começar pelo suspiro

Um olhar risonho ou tristonho

Pela respiração, pelo toque

Pelo frio, pelo calor, por um sonho

 

Ou já vir preparado, inspirado

Uma leitura, um filme, uma foto

Uma lembrança minha

 

Então a respiração se aprofunda

Se confunde, se contamina

Suas mãos vão deslizando

Me apertando, acariciando

Mãos que caminham lentamente

Ora nas pernas, nas costas, ora na bunda

 

As pernas se entrelaçam, se misturam

Encostando, apertando

A temperatura muda a pele

Pode estar lisa, arrepiada ou molhada

Que diferença faz....

 

O que interessa são os corpos

Em movimento, semimortos

Pelo ritmo imposto e compassado

Ora samba canção

Ora samba rasgado

 

É boca, língua, mordida

Por todo corpo, na pele escondida

Pele que mata a fome, a sede

 

E sem que ninguém peça

Corpos esquentam, fervem, aquecem

Músculos cansados se afrouxam

Olhos semiabertos se encontram

 

E Termina como começou...

Com olhos risonhos ou tristonhos

Depois do sono, depois do sonho.

#Poesia #Concurso #Eternizarte

Ler conteúdo completo
Indicados para você