[ editar artigo]

ECONOMIZE-ME

ECONOMIZE-ME

 

Acontece que não vai fazer a menor diferença

A depreciação do câmbio pelo superávit primário

Nem a fuga de dólares com o boom das commodities

Ou o investimento flutuante em derivativos de debêntures

Para a catadora de sururu no mangue lamacento

que amamenta sua criança quando baixa a maré

 

Acontece que não vai fazer a menor diferença

A orçamentação cambial dos ativos de alta liquidez

Nem a alíquota dos lucros pelas tarifas alfandegárias

Ou a insolvência da desvinculação na receita da união

Para o cortador de cana que morre de exaustão

Antes de completar os seus trinta e cinco anos  

 

Acontece que não vai fazer a menor diferença

A regulação de risco da desmobilização patrimonial

Nem a matriz econômica pela desvalorização indexada

Ou a rentabilidade da plutocracia com a balança comercial

Para o garoto esmilinguido que não vai à aula

Por ter que ganhar o pão diário como flanelinha   

 

Acontece que não vai fazer a menor diferença

A debacle dos organismos multilaterais sem renúncia fiscal

Nem o colapso rentista via títulos pré-fixados

Ou o imperativo da capitalização pelo swap cambial

Para o velho coletador de materiais recicláveis

Imerso nos monturos do depósito de lixo municipal

 

Acontece que não vai fazer a menor diferença

Esses cálculos atuariais e seu déficit insolvente

Nem a revogação do pacto tributário na taxa Selic

Ou o tripé macroeconômico no epicentro do capitalismo

Para as meninas esfomeadas da periferia

que furtivamente colhem restos na xepa da feira

 

Tchello d’Barros

#Poesia #Concurso #Eternizarte

Ler conteúdo completo
Indicados para você