[ editar artigo]

Desvio pelo Deserto

Desvio pelo Deserto

 

Tive medo da travessia

O deserto é uma imensidão

Eu – grão de areia

Todas as tormentas

Me abraçaram o corpo

Tive medo de não te encontrar

Naquele oásis

Onde plantamos rosas

Vermelhas

Era tão cedo

Para soltarmos as mãos

 E eu via a vida no fio da navalha

Procurava desviar

Talvez houvesse um descaminho

No meio do nada

Onde, no fim, estivesse a salvação

Segui descalço

Suportei todos os espinhos

E as pedras do caminho

Tive sede e fome e calor e frio

Invoquei o Sagrado

Tive medo de não alcançar

A graça, a cura, você

Me arrastei na areia

Quase sem forças

A vida me escapava

Por cada poro

Na verdade, eu morri

Não era mais

Nem fruto, nem flor, nem semente

Mas, por milagre

Por vontade, por necessidade

De cumprir a missão

Estou renascendo

Aos poucos

Tive tanto medo de te deixar

Tive tanto medo

Paciência! A nossa história

Seguirá

Vamos colher as rosas

Vamos alcançar o mar

Falta terminar de amanhecer

É preciso só concluir a travessia #poesia #concurso #Eternizarte

 

 

 

 

 

Ler conteúdo completo
Indicados para você