[ editar artigo]

DEALBAR

DEALBAR

DEALBAR

Antes que o sol nascesse vim aqui
Em meio à claridade omnipresente
A ter quanto do mundo se apresente
Diante da serração, ampla por si.

Eu, sem eira nem beira, pareci
Evanescer em meio às névoas rente
Ao céu que s'estendia tão-somente
Para além do que longe amanheci.

Ao caminhar por linhas de cumeada,
Buscando versos vãos, de afogadilho,
Atravesse do alvor o claro brilho!  

Rico em minha miséria de andarilho
Contemple eu na brancura ensimesmada
O vazio absoluto que há no nada.

Betim - 19 08 2020

EternizArte
Ricardo CUNHA
Ricardo CUNHA Seguir

Escrevo. Gosto de escrever. Se sou escritor ou poeta, eu deixo para o leitor ponderar. https://medium.com/@arqt.ricardoc

Ler conteúdo completo
Indicados para você