[ editar artigo]

Cada de pedra

Cada de pedra

A Casa que ninguém fez, a casa que era talvez, o hatat natural terceiro dono, a casa era o trono, pra quem iria sonhar, recriar seu ninho ali, edificar. Como a flor no aroma medra, a casa era de pedra, na solidão que vem, na vida de alguém, se eu pudesse esquecer, que bom, se encontrasse outro tom na memória, luz e ilusão, eu seria céu, seria vão, se eu buscasse mais, se encontrasse o cais, se em você dormisse e em você sonhasse, vivia mais e mais, eu seria assim, eu seria o fim e o começo da estrada da nova constelação. 

TAGS

baduaraujo

EternizArte
Ler conteúdo completo
Indicados para você