[ editar artigo]

Bodas dos prazeres

Bodas dos prazeres

Eva Lilith não queriam limites

Só viam suas fomes seus apetites

Quando ervas más se erguiam

Para amarrarem seus pés

Asas nasceram!...Persistiram!...

E assim sou e assim és!

Nunca tanto o tempo acertou

Assim no canto assim no vôo

Se amor de verdade punição for

Seja tua língua chicote

Meu orgasmo teu dote

A cerimônia a igualdade

Então desde outrora

Não se soube qual alma

Em qual corpo estava

Nunca houve Senhora

Nunca houve Escrava

Nem forte nem frágil,

Uma só transcendente calma

Nos acolhemos após o naufrágio...

 

 

 

 

 

 

 

 

EternizArte
Raquel Alice de Souza
Raquel Alice de Souza Seguir

Escrevo.Logo existo. Nã sei persistir senão desta maneira. Do pior para o melhor.A poesia me escolheu.E não me autoriza desistir dela.Se eu jamais tiver um livro impresso sei que será válido pela catarse. Não hobby nem missão;ofício de luz e sombra.

Ler conteúdo completo
Indicados para você