[ editar artigo]

Bem-vinda ao clube!

Bem-vinda ao clube!

Oi, amiga, leitora, companheira, empreendedora, trabalhadora desse Brasil – e por que não do mundo?

Você se sente valorizada no seu trabalho? No seu emprego?

Você acha que deveriam te pagar mais?

Você gostaria de ser reconhecida naquilo que faz?

Falta motivação, incentivo?

Você se sente realizada profissionalmente? Realizada na vida?

Eu adoraria falar: “Seus problemas acabaram!” (e os meus também!) e dar uma solução milagrosa e instantânea. Como gostaria!

Mas só posso te dizer: “Tamo junta!”

Não é de hoje que falo sobre isso, mas parece que quanto mais o tempo passa, mais aumenta a vontade e necessidade de fazer algo diferente. E mais gente próxima a mim começa a reclamar de seus empregos, trabalho.

Tem trabalho que paga bem, mas a pressão (e até falta de educação) dos superiores o tornam insuportável. Tem trabalho que nem paga tão bem assim e ainda tem uma mega cobrança por cumprimento de metas absurdas (em meio a uma crise e pandemia). Tem quem precisa se dividir em dois empregos para garantir o mínimo, vivendo exausta, estressada.

Não acho justo. Você se vê rezando pro dia acabar, pro final de semana chegar, pra ter feriado, pra sair de férias. Pra depois voltar pra mesma situação que te adoece, que te entristece.

Mas e aí? Como mudar? Como fazer algo diferente? Como se sentir realizada e também pagar as contas, os boletos, sem viver apertada?

Tenho amiga que tem uma formação da qual se orgulha, que gosta do que faz, mas ainda não encontrou a forma de trabalhar que se sinta bem e valorizada.

Tem pessoas como eu, que não pode contar com a formação acadêmica e precisa descobrir outra coisa para fazer sentido em sua vida, pra fazer diferença no mundo (é, eu penso meio grande às vezes).

E então, mulherada? Vamos nos unir? Vou montar um grupo de apoio para amigas sem realização profissional, quer entrar pro clube? Ideia aqui não falta, só falta atitude, planejamento, organização. Coisa pouca.

Brincadeiras à parte, o que tenho tentado fazer é colocar essas ideias no papel, mesmo que seja só pra tirar um pouco da cabeça. Também tenho visto vídeos, estou fazendo alguns cursos, me envolvendo com grupos diferentes. Tudo o que possa expandir a mente e trazer uma luz. Vez ou outra vem um “insight”, tipo o deste texto-desabafo.

Se você se identificou, comenta aqui embaixo, deixe sua mensagem motivacional, quem sabe isso traga novas ideias para mim ou para quem precisar ler.

Obrigada.

Débora Tagliacozzi Galvão (25.11.2020)

Imagem: Nadzeya Dzivakova/istock

EternizArte
Débora Tagliacozzi Galvão
Débora Tagliacozzi Galvão Seguir

Aquariana, 39 anos, de Araraquara, interior de SP. Funcionária pública, escrevendo para desabafar, compartilhar ideias e não enlouquecer - muito.

Ler conteúdo completo
Indicados para você