[ editar artigo]

As Tentações de Santo Antão

As Tentações de Santo Antão

Como eu pude ser tão presunçoso?

Essa foi minha principal indagação

Da última vez em que estive no MASP

E deparei com “As Tentações de Santo Antão”

 

De autoria de Hieronymus Bosch

Tal obra sempre me causou aversão

Apesar de até então só tê-la visto

Em fotografia ou em mera ilustração

 

Mas, ao confrontar a pintura original

Fui obrigado a mudar de opinião

Após passar por uma espécie de catarse

Que me ensinou a contemplar com o coração

 

Os pormenores desta bela obra de arte

Que me causaram uma profunda comoção

A ponto de não conseguir conter as lágrimas

Ao perceber que ela beirava a perfeição

 

Tal episódio me marcou profundamente

E me ensinou uma belíssima lição:

Jamais julgar alguma coisa ou alguém

Tendo por base uma mera presunção

 

E é por isso que eu escrevo esta poesia

No intuito de alcançar minha redenção

Por ter sido tão simplista e arrogante

Ao criticar “As Tentações de Santo Antão”

Ler conteúdo completo
Indicados para você