[ editar artigo]

A tão sonhada Paz

A tão sonhada Paz

 

Minha voz calada em tua boca sedenta,

Embalada em sussurros atordoantes,

Acorda rouca e embriagada

No toque de tuas mãos e se liberta

Por entre os lábios alcançando o infinito.

A pele torturada, exposta pela chama,

Tem seu tempo pautado em saborosa dor,

Atenuada apenas pela intensidade da explosão que está por vir...

Enquanto chega rápida,

Se derramando na calmaria de fôlegos entrecortados,

O amor surge,

Pequenino e doce,

Suplicando por alimento pra que sobreviva,

Se apiedando daqueles que o procura

Sem se fazer lembrar

Que, para amar

É preciso se enxergar no outro sem pensar,

Apenas se entregar

E deixar que ele encontre por nós

Sua alma irmã

A tão sonhada paz.

EternizArte
Amanda Kraft
Amanda Kraft Seguir

Sou casada e mãe de 3 meninos. Possuo vários contos selecionados em antologias - à venda pela Amazon e outros - como Amanda Kraft. Como cantora, compositora e artista plástica, uso o pseudônimo de Lamaris.

Ler conteúdo completo
Indicados para você