[ editar artigo]

A sede da areia

A sede da areia

 

    Todos os dias,tenho a plena consciência,de que aos poucos,meu corpo"está se pondo".
    E tenho...,o desprazer mental,de o ferir com insultos.


 

    Os caminhos dos quais irei percorrer,estarão longe de seus olhares atentos e cuidadosos;espero...,que me guardes,no espelho de suas lembranças.


 

    Me apoio...,com um de meus joelhos no chão;me abraço e digo a mim mesmo,que ainda estou aqui

 



    Em momentos dolorosos de nossas vidas,nos questionamos,sobre a real existência de"um lugar melhor".E nesses momentos,
    lutamos contra o sofrimento,segurando nas mãos dessa clemência crença;outrora,perdida ou descriminada ,pela lógica pessoal.



Quando a mesa permanece farta e,há saúde suficiente para sentar-se a ela...,não há:Deuses,Demônios ou Líderes,
a serem consagrados,atribuídos ou solicitados.
Apenas...,retribuições a esforços pessoais diante da vida.


 

As hienas serão apascentadas,a se alimentarem paralelamente com o Medo dos alheios.Então...,as soltaremos,em meio aos nossos protegidos e lecionados cordeiros.

Assim,eles voltarão á nossa luz guia,com a avidez da certeza.



Quando o caos alonga seus tentáculos sobre os humildes cidadãos,a quebra das regras,é inevitável como resposta;
ás negações e o desafio do Ser sobre o tempo;infringidas e questionadas,...em nome de um possível,último suspiro.


 

O profano que arde...,que acalenta o entardecer da alma pagã;ás condolências de plásticos ao redor.


Sufocante,ao se aceitar tais mentiras doadas;como:compaixão estendida de um ser em constante redenção,aos olhos de párocos infiéis.


Mercadores,sabem,que a dor e o medo,são moedas valiosas;desde a invenção do Tempo.
Elevam sua cotação de bênçãos,nas lástimas de horas atribuídas.


 

 

Os sentimentos dos quais eu havia guardado,escondido de mim e de todos,uniram-se gradativamente,e criaram o seu próprio Eu.
Em uma "cova punji',aguardaram-me calmamente,o meu trilheiro passar através de um rotineiro espaço.Sempre demarcado.


Sussurraram  em meu ouvido,em meu cair em brados;
-Libertá-lo-ei,do futuro.

 


 


    Aquela velha canção do Inferno,já denotava,que,nem toda bondade,é linear.

 

 


Frases by santidarko

Ler conteúdo completo
Indicados para você