[ editar artigo]

A REDE

A REDE

 

Livre corre o pensamento

que se torna  corrente elétrica

percorrendo a complexa rede neural.

 

Última lágrima vertida

deixa a mente vazia e

o amanhecer de um novo dia

não pode ser apenas o sol na areia da praia.

 

Cedo os raios de Sol a alma esquentam 

e o fluxo sanguíneo alimenta toda a vida;

assim como os sistemas e

células do corpo que acalentam.

 

Indo embora o desejo de pensar

fica tudo aquilo que nos sustenta,

cada pedacinho distante do seu ser e

o crânio não vazio é o puro reflexo a entoar.

 

Ainda que fosse o último cometa do céu,

o belo olhar da vida, o pulso a jorrar,

calcifica o esqueleto frio e delimita a fibra.

O globo ocular pode extravasar e

consegue ver muito mais do que o véu.

 

Nada disso faz sentido para

aqueles que batem apenas

na porta do tempo,

olhando as marcas deixadas no caminho,

sem ter o vento acariciando a face rubra de frio.

 

Agora o corpo todo unido

simplesmente caminha

e a estrada fica curta

quando a jornada começa.

 

 #Poesia #Concurso #Eternizarte

 

EternizArte
Luty Kossobudzki
Luty Kossobudzki Seguir

Timoneiro, dessa incrível Caravela das letras, que navega sem destino no mar da escrita. Cada palavra um caminho, parte integrante da constante viagem!

Ler conteúdo completo
Indicados para você