[ editar artigo]

A Primeira Noite Gótica de um Coelho

A Primeira Noite Gótica de um Coelho


Ouvirdes
que o tempo
és um abrandador de Males

Deveras

Mas o alentador
ou
O pesaroso alívio

virdes

Da cômica Mental
do esboço de um sorriso
e da cultura
de gênero

Luz e Escuridão exacerbadas
irradiam extremos não resolutos.

 

 


A autossugestão ofertada,de um"declínio"á Noite,á primeira vista,provoca a alheios,o subjugar...;de práticas macabras,"hediondas"a crenças ou"vampirismo morais".
Ou...,em detrimento á lógica de um Todo,equiparam a ações vexatórias,a figuras esquálidas ,que habitam o não merecimento da beleza meramente"digerível".

Mitomaníacos da ignorância.
Ardis do desconhecimento.

Eis de ouvir em "rodas"mais seletivas,de vocais e pronúncias de Finas Estirpes,que talvez...; esteja"abraçando o Mal,intelectualmente".

Em outras visões...,a parte não Branda da Luz.
Esse ponto visionada no Prisma, seria de uma forma,talvez, grata ao interlocutor.


AH SIM!!


Nenhum Cordeiro,será sempre puro e obediente.e,
nem todo Lobo é Mau.

O Coelho que anseia ser "cinzento" e,que habita o Dia mais Ama a Noite,talvez, não seja estonteante, a olhos ultrapassados e senis.

 

 Doença..,é a Depressão.
A Melancolia Artística e a "alegria negra",uma predileção.


Tudo é tão absurdo
quão fantástico

a supervivência


Mesmo diante de uma bigorna em cima de minha Alma
uma parte de mim
vaga
transeia
Anseia

O pânico de viver e ao mesmo tempo morrer
estaguina
corrompe

liberta e aprisiona

a salvação...
velejar com a escuridão

Um ponto de luz
apenas
suposição

Ler conteúdo completo
Indicados para você