[ editar artigo]

A Insone trovoante

A Insone trovoante

Tem medo de dormir e, não acordar.
A amedronta, o pensamento de finar,

da alma esperança ,não continuar.


Todos os dias,tende ao receitado, remediar;
para com seu dilema, amenizar.


Chega.
Pare de trovoar.

Tente se acalmar...


é o certo futuro dos vivos seres, a se esperar.
Almeje ,apenas do tempo ,aproveitar.


Quem realmente trava uma luta  no adiar;
merece o considerar.

Sua fobia, não passa ,de um normal mimar.


Não o diminuo,mas não vou,a atestar.
Viver,é não saber o até quando...
ESTAR.


Viva Gianna.
Viva.
aqui,vamos Todos deixar.

 

 


 A Vontade ,nos fadiga



O "descaminho," vem do desejo frustrado,do inquieto auferir antes do término de nosso ser,mas, o conquistado, se torna pequeno.
Acredito, que ao atenuar dos impulsos,venha da simplicidade, de pequenos gestos e conquistas.

Um abraço, ou ,uma tarde ao lado de quem se ama ou se admira.
Observar ,a "redoma criação" de multietnicidade do qual somos "presos";não como fardo,mas sim, como a chance,de uma breve passagem producente para  TODOS.

Claro, tendo os objetivos pessoais concluídos,se terá ,mais vigor para com o externo,isso, não o difere, de todos.
O que o distancia,é a vitória, do" MEU somente".




Mesmo em uma conquista pessoal,descomunal para padrões do normal,em que todos lutam arduamente no cotidiano,após seu partir,para os que permanecem,continuarão viver suas vidas, como você, vivia a sua-seguindo em frente.
Com uma lembrança ,esmerada ou pouco significava ,para sua existência.

Ambição e/ou vitória,o que importa -é o conhecimento.


O deixar," amostras de vitórias",são visões,de um poder desnecessário.

 

Ler conteúdo completo
Indicados para você