[ editar artigo]

A CASA DA PRAIA

A CASA DA PRAIA

 

Estou indo à casa da praia
Para ficar longe da agitação
Para sentir a brisa da manhã
Acordar ao som das gaivotas
A maresia entrando pela janela.

Caminhar pela praia para olvidar
Os problemas do dia a dia.
Caminhar com o cachorro
Para se desestressar.
Molhar a ponta dos pés
À margem da praia.

Na varanda de casa
Tomo uma xícara de café
Leio os poemas de Edgar Allan Poe
Assisto ao ocaso
Escuto Milton Nascimento.

Aqui na casa da praia
Tento me recuperar
Da perda que tive.
A perda da minh'
Amada pela leucemia.
Seus anos foram interrompidos.

(André R. Fernandes)

TAGS

Gotico

EternizArte
André R. Fernandes
André R. Fernandes Seguir

Sou graduado em Letras pela Universidade Nilton Lins. Professor de Literatura, Gramática, Redação - Produção textual e Revisor de Textos. Finalizando a Pós-graduação em Língua Portuguesa pela Escola Superior Batista do Amazonas - ESBAM.

Ler conteúdo completo
Indicados para você