[ editar artigo]

A árvore que entoava receios

A árvore que entoava receios

 

Enxergar a veracidade de fatos à sua volta,não Condiz necessariamente ,com seu Mundo ID interior.Ainda, que se entrelacem, como forma de sobrevivência de ambos,seu Mundo e ao Real de Todos-pode se desenvolver, uma"forma de SOL "para a vida em seu Planeta distante e hostil .

 

"Sua Forma de vida","seus Habitantes",sua Natureza imaculada ou exploradora de outros povos.

"Ser apenas um mercantilista": trocar  informações com outras raízes, dos transeuntes a ouvir;não o faz ,tão distante da real condição de Todos.


Não ser um adepto residente e, um comum visitante de multidões e, ter um aconchegante  de sua sombra,não implica em desdém para com outros-a falta de respeito para com os outros seres vivos


Mas.. ,minha Realidade,é sua Ficção.
"Sua Ficção,pode ser um dia, minha realidade";

...ou,
Ambos, podemos convergir aos Ficcionados-fatos.


Talvez, não passe de um  GRANDE Fato-Ficção que dependa do TEMPO.

 

Caminhar em nossa própria terra conhecida,nos torna, mais fortes.

Quando pisamos em "outros Mundos",TALVEZ,CREIA EU,seja o despedir do pacífico para com os outros.
Penso ,que seja como forma de defesa ,contra os ataques, em seu pequeno oásis -pacato e verdadeiro.

Mas,nascer e nunca ver o além-redor mais um pouco,é muito triste.

Ler conteúdo completo
Indicados para você